Artigos

O seu negócio é SoLoMo?

por:

Sabemos que os consumidores são sociais, que os anúncios têm relevâncias diferentes em localizações diferentes, e que levamos o mundo na palma da mão

 

SoLoMo: Social + Local + Mobile. O conceito já não é novo e até podem acusar-me de estar a resgatar estratégias arcaicas. Afinal de contas, em Marketing Digital, tudo o que tem mais de 2 anos pode ser considerado “antiquado”. Porém, se houve algo que a pandemia provou, é que esta lição não estava bem aprendida.

Em Marketing Digital, há uma série de coisas que “toda a gente sabe”. Os websites devem ser responsivos, o conteúdo tem de oferecer valor, as empresas precisam de marcar presença nas redes sociais, etc, etc. Mas, tal como colocar a máscara (e basta sair à rua), saber “o que devemos fazer” e “executá-lo bem” ainda vai uma grande distância.

Por isso, é hora de pôr a mão na consciência e refletir. O seu negócio é de facto SoLoMo?

 

Social

Comecemos pelo “Social”. Quando falamos nas redes sociais, não basta marcar presença ou publicar; é preciso criar um sentido de comunidade. Por exemplo, publica regularmente? Limita-se a republicar, ou adapta o conteúdo a cada rede social? Mostra o backstage da sua empresa nas redes sociais, para promover a transparência? Responde rapidamente aos comentários e mensagens? Está atento às avaliações que recebe nas redes sociais? Sabia que a grande maioria dos consumidores lê os comentários nas redes antes de avançar? Tem Google My Business com horários e fotos atualizados? Menciona as medidas que está a tomar devido ao COVID-19?

 

Local

A seguir segue-se o “Local”. Segundo a JiWire, 75% dos consumidores interagem mais com anúncios locais. Os anúncios locais só se tornaram possíveis graças à tecnologia de geolocalização cada vez mais precisa, automações que permitem personalizar mais, e aumentar o retorno e a relevância dos anúncios nas redes sociais.

Depois de verem anúncios locais no telemóvel, as três ações mais comuns são clicar, procurar pela loja mais próxima e pesquisar mais sobre o anunciante. Se forem procurar informação sobre si, encontram informação atualizada nas redes sociais ou no próprio motor de busca? Se o seu negócio realmente depende de um espaço físico, conseguem agendar uma reunião, marcar visita ao showroom ou inscrever-se num evento?

 

Mobile

Por fim, falemos do “Mobile”. Em Portugal, o acesso à internet por telemóvel (66% dos utilizadores) já ultrapassou o acesso por computador (61%). Mas, mesmo assim, limitar este eixo a “websites responsivos” ou “e-commerce” é redutor. Sabemos que, na maioria das vezes, as compras online só acontecem depois de algumas interações com a marca. Mesmo em B2B, há em média 7 interações com a empresa antes de finalizar a compra.

Além disso, também sabemos que os consumidores offline estão online mesmo durante a compra: a comparar preços, a procurar mais informação de produtos, a pedir opinião a amigos e colegas. Já não faz sentido – se é que alguma fez – separar os dois mundos. As duas vertentes influenciam-se mutuamente. O Cliente é omnichannel.

 

Então, o seu negócio é SoLoMo?

Como disse no início do artigo, nada disto é novidade. Sabemos que os consumidores são sociais, que os anúncios têm relevâncias diferentes em localizações diferentes, e que levamos o mundo na palma da mão. Mas também é verdade que nos sentamos aos ombros de gigantes e que todas estas tecnologias estão ainda a evoluir.

Graças à Big Data, cada vez mais é possível personalizar os anúncios – não baseados na localização, mas numa mistura de informação sobre a localização e o consumidor. A tecnologia é omnipresente nas nossas vidas pessoais e profissionais. É facto. Por isso, mesmo que pareça “antiga”, a pergunta continua a fazer sentido: o seu negócio é SoLoMo?

Licenciada em Informática de Gestão, com formação executiva em Liderança pela Universidade Católica e Mestranda em Gestão de Marketing no IPAM. Ana, acumula 17 anos de experiência no setor das Tecnologias de Informação. Com experiência nas melhores práticas de Marketing, Comunicação e Vendas direcionadas para o mercado B2B em Portugal e no Brasil, é fundadora de agências de Marketing para o setor das TI, docente universitária e oradora em eventos relacionados com o Marketing e Vendas para B2B.

Comentários