Artigos

Employer Branding, a outra vitrine da sua empresa

Joana Pais Afonso, consultora de Employer Branding, explicou a importância da técnica para as estratégias de brand de uma empresa

 

Redação: Júlia Gravano
Edição: Martim Mariano

 

 

O que significa Employer Branding?

A Consultora de Employer Branding, que foi uma das palestrantes do Expo Digitalks Portugal, Joana Pais Afonso,  realizou um Quiz  através do site slido.com e as respostas foram muito diversificadas:

  • Engajamento;
  • Afeto;
  • Reputação;
  • Propósito;
  • Clientes;
  • Motivação.

 

Uma coisa que salta de imediato à vista é que pensamos nos clientes em toda a estratégia, mas não pensamos em nossos colaboradores. Logo eles que são quem apoia a nossa causa!

É preciso perceber e olhar para a forma como as marcas comunicam seus propósitos para os colaboradores, como é que conseguem fazê-los sentir atraídos e envolvidos com a marca, com a empresa.

Basta pensar que aquilo que os colaboradores falam sobre a empresa passa a ser a referência, assim eles viram quase que de imediato, embaixadores da marca.

 

Bons exemplos de employer branding:

Com o employer branding as pessoas se sentem mais motivadas, libertas e felizes, sendo que há um claro aumento da autonomia e do compromisso para com a empresa, já para não falar do crescimento evidente da ligação emocional com a marca, que passa a ir para além daquilo que é a obrigação por conta do salário que se recebe.

No fim de tudo, todo o conjunto desse trabalho se torna atrativo. Torna a própria marca atrativa.

É, por isso, importantíssimo que se defina corretamente qual a mensagem certa que se vai passar, de modo a que as pessoas queiram trabalhar na empresa. É preciso tornar a marca atrativa e nada melhor do que as pessoas que lá trabalham para contar o que verdadeiramente se passa na empresa e porque é que é tão bom trabalhar ali.

A lógica acaba por ser a de que: o que acontece na empresa fica nas redes sociais.

Não adianta investir em publicidade, se a reputação da marca está fraca pelas pessoas.

 

5 desafios do employer branding:

  1. Como atrair o melhor talento?
  2. Como acelerar os processos de recrutamento e melhorar a experiência de candidato?
  3. Como satisfazer o melhor colaborador e reduzir o turnover?
  4. Como estar visível nas novas formas de comunicação e de consumo de conteúdos?
  5. Como passar uma experiência de marca impactante e 360 tanto para os colaboradores como para os clientes?

 

Mas se já trabalhamos há tantos séculos porque é que só agora se está a falar disto, a nível corporativo?

Porque hoje, as novas gerações, trocam entrevistas por conversas.

E até a linguagem passou a ser diferente.

Deixamos de lado o colaborador recrutado, trocando-o pelo colaborador atraído.

O Chefe passa a ser o líder.

A rigidez é trocada por flexibilidade.

O trabalho é trocado por propósito.

O executar por participar.

Ouvir e fazer por entender, questionar e acrescentar valor.

No entanto, importa destacar que não é só disto que vive o employer branding. Há toda uma parte tecnológica que deve ser pensada. É preciso pensar 24h sobre 24horas. Em qualquer lugar.

É fundamental que se planeje e defina uma estratégia de conteúdos.

Tem de se acompanhar os sites de reviews, quase que permanentemente.

E se olharmos mais para cima, para todo o processo de transformação digital, fica claro que há ainda mais trocas a destacar:

Trocarmos empregos “para a vida” por empregos não criados.

Formação tradicional por aprendizagem continua.

O que se quer hoje, é um trabalho sem fronteiras. Um trabalho remoto.

Se pensarmos em termos de receita de sucesso, é fácil de perceber o caminho a seguir e que a Joana Pais Afonso deixou bem claro:

  • Liderança;
  • Coach + equipe;
  • Experimentação;
  • Medir para melhorar;
  • Ação de médio e longo prazo.

 

Tudo isto feito de dentro para fora.

Por último, a palestrante deixou duas questões a fim de fazer a audiência pensar um pouco:

“Quantas pessoas são verdadeiramente fãs de uma marca/ empresa?”

“Os clientes nunca vão amar uma empresa sem que os colaboradores a amem primeiro”.

Se pensarmos nisto a fundo, quase que nos parece óbvio e até linear.

Mas será que, em 2019, o mundo está preparado para pensar e aceitar que isto é mesmo assim?

 

A Era da Experiência, engajar clientes e colaboradores e torná-los fãs da sua marca é uma premissa para o sucesso de um negócio, certo? No Expo Digitalks, evento que acontece em agosto na cidade de São Paulo, esse assunto será bastante abordado.

>>Participe do Expo 2019 e mantenha-se  a par do mercado. 

Júlia Gravano

Gosto de me denominar como AfroEmpreendedora Criativa pois trabalho empreendendo com vários aspectos da criatividade, seja na Moda como Consultora de Imagem e Estilo ou na Web como Fundadora e Diretora Criativa da Web Imagem, agência online de criação de Websites. Também atuo fazendo palestras, treinamentos e cursos voltados para ambas as áreas, e sou Embaixadora Wix no Brasil.

Comentários